“É preciso fazer mais para garantir a sustentabilidade do Turismo”

Por a 15 de Novembro de 2018 as 13:39
Raul Martins, presidente do Grupo Altis Créditos: Frame it

O presidente da Associação da Hotelaria de Portugal (AHP), Raul Martins, considera que é preciso fazer mais para garantir a sustentabilidade do Turismo, nomeadamente a nível fiscal. Aproveitando a presença do primeiro-ministro na sessão de abertura do 30º congresso da associação, que decorre esta quinta e sexta-feira em Lisboa, Raul Martins deixou alguns recados ao governo. “Uma vez mais a proposta de Orçamento de Estado penaliza as empresas no cálculo da tributação autónoma e agrava ainda mais a dos veículos, o que no caso da Hotelaria tem uma grande incidência, porque a frota automóvel é indispensável à nossa actividade”.

Por outro lado, Raul Martins considera que o peso que a contribuição dos empregadores assume para a Segurança Social, os custos directos e sobretudo a adicional carga fiscal na factura da energia são factores que retiram competitividade ao Turismo”.

Raul Martins aproveitou ainda o momento para, uma vez mais, reforçar a urgência da concretização do acordo entre ANA e governo para a construção do aeroporto do Montijo e também a entrada em funcionamento do novo sistema de tráfego aéreo, previsto para o final de 2020, e que “permitirá aumentar o número de movimentos por hora na Portela”.

Apesar de reconhecer que, até à construção do novo aeroporto, o ritmo de crescimento das taxas de ocupação e preço médio não será o mesmo dos últimos três anos, o presidente da AHP apelou a que os hoteleiros não reduzam os preços, mas sim aumentem o valor percepcionado e o serviço prestado.

O presidente da AHP deixou ainda uma mensagem aos municípios, para que promovam a construção de habitação para arrendamento, “por forma a aumentar a oferta de habitação essencial para atrair e fixar população”.

Dirigindo-se em concreto ao destino Lisboa, Raul Martins afirmou a importância de aumentar a capacidade da Feira Internacional de Lisboa (FIL) e a construção de um centro de congressos, com “recurso à taxa turística”.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *