Opinião: “Não há turismo sem sustentabilidade cultural”

Por a 2 de Julho de 2024 as 11:02

Num mundo cada vez mais globalizado, onde as fronteiras se tornam ténues e as culturas se misturam, a hotelaria emerge como um bastião da identidade local, especialmente numa cidade repleta de história e cultura como Lisboa. A ligação dos hotéis à cultura e ao património de Lisboa não é apenas uma questão de preservação; é uma narrativa vibrante que enriquece a experiência de cada visitante, enquanto contribui para o desenvolvimento sustentável do turismo.

Lisboa, com as suas sete colinas, a luz única que se reflete no Tejo, os azulejos que adornam as fachadas e os recantos que contam histórias de séculos, oferece um cenário ímpar para a hotelaria que deseja mais do que proporcionar uma estadia; deseja oferecer uma experiência. Os Hotéis Heritage Lisboa são um exemplo emblemático desta integração, posicionando-se não apenas como locais de hospedagem, mas como espaços vivos de cultura e história. Instalados em edifícios históricos, cada um desses hotéis conta uma parte da história da cidade, oferecendo aos hóspedes uma janela para o passado, enquanto desfrutam do conforto e da hospitalidade portuguesa.

A preservação do património arquitetónico e a promoção das artes e ofícios tradicionais são aspetos que estes hotéis cuidadosamente integram, criando uma ponte entre o passado e o presente. Esta abordagem não só enriquece a experiência do turista, proporcionando-lhe uma imersão na essência lisboeta, mas também contribui para a sustentabilidade cultural e económica da cidade. Ao valorizar o que é autêntico e único em Lisboa, estes hotéis desempenham um papel vital na diferenciação do destino num mercado turístico cada vez mais competitivo.

Além disso, a integração da cultura e do património na oferta hoteleira contribui para uma consciencialização mais ampla acerca da importância da preservação cultural. Os hóspedes, ao vivenciarem a história e a cultura de forma tão íntima, tornam-se embaixadores da cidade, partilhando as suas experiências e, indiretamente, promovendo a conservação do património.

Contudo, esta missão requer um compromisso contínuo e uma sensibilidade para não apenas conservar, mas também revitalizar a herança cultural, garantindo que ela se mantenha relevante para as gerações futuras. Isto significa colaborar estreitamente com a comunidade local, autoridades de conservação e artistas, para assegurar que o desenvolvimento turístico se faça de forma responsável e benéfica para todos.

A ligação dos hotéis à cultura e ao património de Lisboa não é meramente um diferencial competitivo; é um compromisso com a preservação da identidade e da história da cidade. Ao investirem nesta relação, os hotéis não só enriquecem a experiência dos seus hóspedes, como também contribuem para o tecido cultural e social de Lisboa. Assim, a hotelaria assume um papel de destaque na promoção de um turismo sustentável, responsável e profundamente enriquecedor, tanto para quem visita como para quem reside na cidade.

Diogo Laranjo
Diretor-geral dos Hotéis Heritage Lisboa

*Artigo de opinião publicado originalmente na edição 217 da Publituris Hotelaria

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *