Vila Baleira vai ser remodelado e quer reforçar aposta no segmento de saúde e bem-estar

Por a 11 de Junho de 2019 as 8:00

O Vila Baleira Resort, na ilha madeirense de Porto Santo, vai ser alvo de uma remodelação orçada em 3,5 milhões de euros. A intervenção será executada ao longo dos próximos três anos, adiantou à Publituris Hotelaria o diretor-geral da unidade, Bruno Martins, à margem da segunda edição do Festival Rota do Atum, que decorreu entre os dias 03 e 09 de junho, em Porto Santo.

O primeiro passo será dado no próximo mês de dezembro com a ampliação da capacidade de alojamento que atualmente oferece 312 unidades. No total, serão acrescentados mais 28 quartos, no edifício Thalasso Spa, que estarão operacionais em maio de 2020. Neste espaço serão ainda construídos dois gabinetes médicos e um centro de fisioterapia. O objetivo é reforçar a aposta no segmento de saúde e bem-estar. “Cerca de 40% dos nossos hóspedes utilizam o espaço durante a estadia. Tanto no verão como no inverno é um atrativo bastante forte. Além dos tratamentos que já disponibilizamos, queremos oferecer um acompanhamento mais pessoal e técnico. Estes quartos são destinados a um hóspede específico que procure esta vertente”, explica o responsável.

Na lista de afazeres há também novidades na área de F&B. O Vila Baleira Resort vai expandir a oferta de restauração com um novo restaurante temático. Este novo espaço será construído no edifício principal e resultará da conversão das três atuais salas de reunião. Desta forma, o hotel passará a ter uma capacidade de restauração para 700 pessoas. Os atuais restaurantes Dunas e Atlântico disponibilizarão a opção de à la carte e buffet, respetivamente.

No próximo ano é a vez de serem renovadas as áreas públicas como o lobby e a receção e, por fim, em 2021, o plano de atualização do quatro estrelas fica concluído com a pintura exterior dos edifícios.

Em 2018, o hotel all inclusive com duas décadas de vida teve uma taxa de ocupação média  de 70%, valor inferior face a 2017 (75%). Bruno Martins admite que este ano o indicador deverá cair, em parte devido à redução da operação italiana. Ainda assim, o preço médio vai subir permitindo suavizar o impacto desta quebra. Já a estada média, no ano passado, situou-se nas 7,2 noites.

O diretor-geral do Vila Baleira Resort aponta a mobilidade como o maior constrangimento da ilha. “O valor dos voos é exorbitante e o preço prejudica a dinamização do destino. Os horários não permitem ligações com outros países da Europa e não há ligações diretas com Lisboa, sendo que dependemos completamente das operações de charters. Isto são obstáculos muito  fortes”, aponta. O responsável diz que é urgente uma “ação mais forte entre agentes privados e públicos” de forma a tornar a ilha de Porto Santo mais competitiva.

 

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *