Mercado interno recupera em Setembro

Por a 15 de Novembro de 2016 as 11:40

PestanaVintage_quarto-1024x682A hotelaria nacional continua a registar crescimento nos seus resultados, seja ao nível do número de dormidas, seja no número de hóspedes. Reflexo disso são os resultados registados no mês de Setembro e revelados, esta terça-feira, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), que revelam 2,1 milhões de hóspedes e 5,9 milhões de dormidas.  Ou seja, um aumento de 7,5% e 6,5%, respectivamente, face ao registado em Setembro de 2015.

Contudo, a maior surpresa registada foi o crescimento verificado do mercado interno neste mês, que recuperou face ao mês anterior, mostrando um aumento de cerca de 5%, num total de 1,6 milhões de dormidas. No que diz respeito aos mercados externos, estes também cresceram 7,2% (4,3 milhões de dormidas) comparativamente com o período homólogo do ano anterior, mas menos do que no mês de Agosto, onde aumentaram 8,2%. Foi o mercado francês o que maior crescimento registou em Setembro, com uma subida de 23,4%. De realçar também de realçar as subidas do mercado brasileiro (+19,8%), do norte-americano (+12,3%) e do belga (+12,1%).

Considerando o período de Janeiro a Setembro, a evolução foi positiva para o mercado interno (+4,5%) e mais notoriamente para os mercados externos que corresponderam a 71,2% do total e aumentaram 10,5%.

Mantendo a tendência dos últimos meses, verificou-se um aumento generalizado das dormidas nas várias regiões, nomeadamente nos Açores (+17,6%), Alentejo (+12,4%) e Centro (+12,1%). Os principais destinos foram o Algarve (37,7% das dormidas), Lisboa (22,3%) e Norte (12,4%). É de notar que Lisboa reduziu o seu peso relativo em 0,8 p.p., em paralelo com registo do menor crescimento (+3,1%) entre as regiões.

Por sua vez, a estada média volta a diminuir, neste caso 0,9%, para as 2,87 noites, contrariamente à taxa de ocupação que subiu para os 61,4%.

Quanto aos proveitos totais estes aumentaram 16,5% face a Setembro de 2015, num total de 347,2 milhões de euros, e os do aposento 16,2%, num total de 253,2 milhões de euros, enquanto o RevPAR subiu 12,5%, para os 59,3 euros.  Estes dados revelam que, à semelhança do que tem acontecido nos últimos meses, o aumento dos proveitos tem superado os dos hóspedes e dormidas. Inclusive, no período de Janeiro a Setembro os proveitos totais aumentaram 16,1% e os de aposento 17,1%.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *